Friday, I'm in Love: Marblo Fotografia

11 de agosto de 2017

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, flor, close-up e atividades ao ar livre

Já postei aqui sobre fotografia outras vezes, inclusive em outro Friday, I'm in Love. Geralmente, as coisas que trago pra esse quadro são coisas que descubro ao acaso, e pra falar bem a verdade eu nem me lembro de como eu e a Marina nos adicionamos no facebook. O fato é que desde que me lembro de ver suas fotografias pela primeira vez, notei um talento maravilhoso desabrochando ali. E acho que todo mundo deveria conhecer o trabalho da Marina Chalom.

LA VIE EN ROSE

7 de agosto de 2017

excuse me while I kiss the sky!!!!!!!!

Ouvi algumas pessoas dizendo que só observa o pôr do sol aqueles que estão apaixonados. Eu sempre observei. Não sei se é porque tenho uma grande facilidade de sentir ou simplesmente porque gosto de ver essa estrela gigante e brilhante que chamamos de Sol tingir as nuvens num tom claro de laranja e depois, calmamente, mudar para rosa e roxo. 
De uma coisa, porém, tenho certeza: observar o Sol ir embora e pensar que ele em breve estará nascendo em outro lugar do mundo me deixa bem. Imaginar que de todos os planetas, eu tive a sorte de nascer bem nesse daqui, cheio de vida, de cores, de pessoas com tantas ideias e tantos talentos a serem explorados!
É, ok, talvez o ditado esteja realmente certo. Talvez apenas os apaixonados observem os fins de tarde.

CHORA, MENINA

31 de julho de 2017

Tendência cintura alta inverno 2015. Confira no Moda que Rima.

Chora, menina. A saudade dói mesmo. Então chora que lava a alma. Não cura, mas ajuda por um momento. Mas não chora só lágrimas, não. Chora pelo dedos. Chora palavras. Desabafa tudo o que te aflige e que te deixa mal. Fala sobre a falta de tempo, sobre o abraço que você não vai receber no seu aniversário, sobre o tempo que você gasta pensando no que era e no que vai ser. Só põe tudo pra fora.

Vomita teu amor, se lamenta pelas horas que você perdeu na frente de uma tela de celular. Grita pra todo mundo ouvir que você não tá bem, que você também sente e que você também chora. Mostra pra eles que você cansou da rotina e que precisa de algo novo pra passar o tempo. Chora de frustração porque ninguém liga. Chora.

Mas sabe, menina, o mundo é assim. Algumas pessoas às vezes precisam transbordar pelos olhos aquilo que esgota o coração. E quando os olhos encherem também, escreva. Mate cada vontade com uma nova palavra. E quando sentir que nem isso basta, lembre-se de tudo aquilo que já lhe aconteceu. De todas as partes boas. E simplesmente espere.

Porque menina, isto não foi nem o começo da sua grande aventura. Tudo passa. Isso também vai passar.  
---

Postei esse texto uns dois anos atrás no meu facebook e ele acabou sendo divulgado de formas que nem eu mesma podia imaginar. Infelizmente, ao repassar, algumas pessoas retiraram os créditos, e coisas assim acontecem quando expomos nosso trabalho ao público. Me deixa um pouco chateada que ninguém saiba que fui eu, mas ainda assim fico feliz que tenham gostado. Vocês podem encontrar muitos (muitos mesmo) iguais a esse no YouTube ou mesmo encontrar o texto em outros blogs, se procurarem.

DE DENTRO DE MIM

22 de julho de 2017



De dentro de mim saem 
Flores e espinhos
E carinhos
Que já não cabem na
Alma. 
Transbordo. 

Caroline Waschburger.

Dois filmes para morrer chorando

19 de julho de 2017

Resultado de imagem para crying tumblr

E parece que agora começam as falhas no calendário de postagens. Pois é, é algo complicado. Mas tem explicação, viu? Eu fico o dia inteiro na faculdade e é difícil arranjar tempo! Faz parte, eu sei, mas de qualquer forma, não pretendo abandoná-los. Só é provável que eu demore um tempinho para responder os comentários. 
Pra hoje, separei dois filmes - daqueles pra se afogar em lágrimas, mesmo. No último sábado, acabei ficando quase o dia todo sozinha em casa e aproveitei que não estava exatamente bem pra ficar assistindo Netflix. É, pois é.

1. O Mínimo para Viver (To the Bone):


O Mínimo para Viver foi o primeiro filme que assisti. Eu havia descoberto a existência dele alguns dias antes e estava super ansiosa para a estreia, mesmo que eu não soubesse a data certa dela. Esse filme conta uma história sobre anorexia, na qual um dos fatores que me chamou muito a atenção foi o quanto a Lily Collins emagreceu para viver o papel de Eli. O Mínimo para Viver acabou me apresentando uma história de superação e mostrando que querer é metade do caminho. 

Uma jovem (Lily Collins) está lidando com um problema que afeta muitos jovens no mundo: a anorexia. Sem perspectivas de se livrar da doença e ter uma vida feliz e saudável, a moça passa os dias sem esperança. Porém, quando ela encontra um médico (Keanu Reeves) não convencional que a desafia a enfrentar sua condição e abraçar a vida, tudo pode mudar.

2. OKJA


Esse foi outro filme que me fez chorar litros. Até mais que o primeiro. Okja conta uma história muito linda sobre a amizade entre uma garota e um superporco e mostra detalhes da realidade da vida nos abatedouros e comércio de carne animal. Acho que só assistindo para entender. 

Nova York, 2007. Lucy Mirando (Tilda Swinton), a CEO de uma poderosa empresa, apresenta ao mundo que uma nova espécie animal foi descoberta no Chile. Apelidada de "super porco", ela é cuidada em laboratório e tem 26 animais enviados para países distintos, de forma que cada fazenda que o receba possa apresentá-lo à sua própria cultura local. A ideia é que os animais permaneçam espalhados ao redor do planeta por 10 anos, sendo que após este período participarão de um concurso que escolherá o melhor super porco. Uma década depois, a jovem Mija (Seo-Hyun Ahn) convive desde a infância com Okja, o super porco fêmea criado pelo avô. Prestes a perdê-la devido à proximidade do concurso, Mija decide lutar para ficar ao lado dela, custe o que custar.

E aí, vocês já viram algum desses? Querem resenha de cada um separada? Chorem comigo!