Céu metamorfo

14 de novembro de 2017

Acontece que as coisas passam. As ideias parecem muito boas num dia e inatingíveis no outro. É como querer algo tanto e, em um piscar de olhos, passar a acreditar que aquilo não basta ou é simplesmente demais. Se me perguntam por que mudo tanto toda semana? Não sei. Não consigo explicar. O céu é azul num dia e cinzento no outro. Talvez as pessoas sejam assim também, talvez sejam tão inconstantes quanto uma nuvem carregada. Eu mudo mais que gostaria em um período curto de tempo, e juro, não é porque eu quero. É porque eu sou. Penso demais, reflito demais, me permito sonhar de mais. Desculpe-me se algum dia, mudando assim, acabei me tornando tão egoísta a ponto de não ver as tuas andanças. Você também tem dias cinzentos e deixei que minhas próprias nuvens fizessem sombras em meus olhos. Desculpe. Prometo tentar ventar mais a partir de agora.

Miniconto: ponto de vista

16 de outubro de 2017

Resultado de imagem para fernando pessoa

"O homem de bigodes finos e óculos de grau cujas lentes mais pareciam fundo de garrafa, erguia o jornal do dia de ponta cabeça. Me arrisquei a perguntar se ele conseguia lê-lo. "Que graça teria o mundo se sempre o víssemos sob a mesma perspectiva?", ele me disse, e eu comecei a criar."

- Caroline Waschburger

Friday, I'm in Love: Marblo Fotografia

11 de agosto de 2017

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, flor, close-up e atividades ao ar livre

Já postei aqui sobre fotografia outras vezes, inclusive em outro Friday, I'm in Love. Geralmente, as coisas que trago pra esse quadro são coisas que descubro ao acaso, e pra falar bem a verdade eu nem me lembro de como eu e a Marina nos adicionamos no facebook. O fato é que desde que me lembro de ver suas fotografias pela primeira vez, notei um talento maravilhoso desabrochando ali. E acho que todo mundo deveria conhecer o trabalho da Marina Chalom.

LA VIE EN ROSE

7 de agosto de 2017

excuse me while I kiss the sky!!!!!!!!

Ouvi algumas pessoas dizendo que só observa o pôr do sol aqueles que estão apaixonados. Eu sempre observei. Não sei se é porque tenho uma grande facilidade de sentir ou simplesmente porque gosto de ver essa estrela gigante e brilhante que chamamos de Sol tingir as nuvens num tom claro de laranja e depois, calmamente, mudar para rosa e roxo. 
De uma coisa, porém, tenho certeza: observar o Sol ir embora e pensar que ele em breve estará nascendo em outro lugar do mundo me deixa bem. Imaginar que de todos os planetas, eu tive a sorte de nascer bem nesse daqui, cheio de vida, de cores, de pessoas com tantas ideias e tantos talentos a serem explorados!
É, ok, talvez o ditado esteja realmente certo. Talvez apenas os apaixonados observem os fins de tarde.

CHORA, MENINA

31 de julho de 2017

Tendência cintura alta inverno 2015. Confira no Moda que Rima.

Chora, menina. A saudade dói mesmo. Então chora que lava a alma. Não cura, mas ajuda por um momento. Mas não chora só lágrimas, não. Chora pelo dedos. Chora palavras. Desabafa tudo o que te aflige e que te deixa mal. Fala sobre a falta de tempo, sobre o abraço que você não vai receber no seu aniversário, sobre o tempo que você gasta pensando no que era e no que vai ser. Só põe tudo pra fora.

Vomita teu amor, se lamenta pelas horas que você perdeu na frente de uma tela de celular. Grita pra todo mundo ouvir que você não tá bem, que você também sente e que você também chora. Mostra pra eles que você cansou da rotina e que precisa de algo novo pra passar o tempo. Chora de frustração porque ninguém liga. Chora.

Mas sabe, menina, o mundo é assim. Algumas pessoas às vezes precisam transbordar pelos olhos aquilo que esgota o coração. E quando os olhos encherem também, escreva. Mate cada vontade com uma nova palavra. E quando sentir que nem isso basta, lembre-se de tudo aquilo que já lhe aconteceu. De todas as partes boas. E simplesmente espere.

Porque menina, isto não foi nem o começo da sua grande aventura. Tudo passa. Isso também vai passar.  
---

Postei esse texto uns dois anos atrás no meu facebook e ele acabou sendo divulgado de formas que nem eu mesma podia imaginar. Infelizmente, ao repassar, algumas pessoas retiraram os créditos, e coisas assim acontecem quando expomos nosso trabalho ao público. Me deixa um pouco chateada que ninguém saiba que fui eu, mas ainda assim fico feliz que tenham gostado. Vocês podem encontrar muitos (muitos mesmo) iguais a esse no YouTube ou mesmo encontrar o texto em outros blogs, se procurarem.